Início Produções CientíficasModelo Científico Óleo de cróton como potencializador dos resultados do Peeling de Fenol

Óleo de cróton como potencializador dos resultados do Peeling de Fenol

por Redação CPAH

Pesquisador(a): Dra. Nicolly Machado – Médica com Pós Graduação em Dermatologia Clínica, Estética e Cirurgia. Pesquisadora do Centro de Pesquisas e Análises Hieráclito – CPAH

Introdução

Os tratamentos estéticos são procedimentos realizados com o objetivo de melhorar a aparência física e promover o bem-estar, atualmente, com o avanço da tecnologia, existem diversas opções disponíveis, que abrangem diferentes áreas do corpo e podem ser realizadas por profissionais especializados. 

Dentre os tratamentos estéticos mais famosos, tem se destacado cada vez mais a realização de peelings que são procedimentos que consistem na aplicação de substâncias químicas, físicas ou mecânicas na pele com o objetivo de promover a descamação controlada das camadas superficiais e médias da pele. 

Isso estimula a renovação celular e melhora a aparência da pele, tratando condições como acne, manchas, rugas e cicatrizes. Existem diferentes tipos de peeling, como o químico, o físico e o mecânico, cada um com suas características e indicações específicas. 

O que é o Peeling de Fenol?

O peeling de fenol é um tipo de procedimento estético realizado na pele para tratar rugas profundas, cicatrizes de acne e manchas mais escuras. Ele é considerado um peeling de alta intensidade, pois utiliza uma solução química de fenol concentrado para promover a descamação profunda das camadas da pele. 

O fenol ou ácido carbólico (C6H5OH) é uma substância derivada do coaltar, para sua utilização em peelings é geralmente usada a formulação onde o fenol é diluído em uma concentração que pode variar de 45 a 55%.

O fenol, ao ser utilizado na aplicação de peelings, atua na remoção das células danificadas, estimulando a produção de colágeno e resultando em uma pele mais rejuvenescida e com aparência mais uniforme.

O que é o Óleo de Cróton?

O óleo de cróton é um líquido extraído das sementes da planta de mesmo nome, conhecida cientificamente como Croton tiglium. A substância é considerada um tipo de resina e deve sua bioatividade à ação de um grupo de hidroxilas livres (OH).

Ele é utilizado em várias aplicações, como medicina tradicional, indústria e em tratamentos cosméticos.

Benefícios do uso de Óleo de Cróton na aplicação do Peeling de Fenol

O óleo de cróton é altamente tóxico à pele, podendo gerar o desenvolvimento de edemas e eritemas, no entanto, apesar de ser insolúvel na água pode ser dissolvido em álcool e benzenos, o que permite sua utilização em combinação com o fenol, que é um monohidroxibenzeno.

O fenol é amplamente realizado em procedimentos estéticos para a realização de peelings, no entanto, em 1960, Baker e Gordon desenvolveram um produto que continha, além de fenol, o óleo cróton, tensoativo e água, o que segundo eles auxiliava na promoção de uma melhor regeneração da pele após a aplicação, algum tempo depois, Hetter baseou-se na fórmula inicial e apresentou mudanças na quantidade das substâncias na mistura para alcançar resultados ainda melhores.

A nova formulação de Hetter para a combinação foi justificada como sendo um potencializador aos resultados da fórmula inicial de fenol e óleo de cróton, com um melhor atendimento às necessidades específicas de cada região do rosto nas quais poderia ser aplicada, reforçando a necessidade de cuidados com a aplicação para reduzir riscos do desenvolvimento de hipocromia ou hipercromia na pele do paciente.

Estudos apontam que a solução de fenol e óleo de cróton para a realização de peelings estéticos promove um processo inflamatório na epiderme que é seguido por um processo de regeneração na pele.

A utilização do fenol em combinação com o óleo de cróton permite intensificar a atividade da substância na pele, possibilitando uma permeação mais profunda na epiderme, o que gera um dano mais profundo acompanhado de um processo único de regeneração da pele do paciente, também está estabelecido cientificamente que a aplicação do peeling de fenol sem a associação com o óleo de cróton gera uma redução na eficácia da fórmula em promover a regeneração celular.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

CARACTERIZAÇÃO química do óleo de Croton tiglium (Euphorbiaceae) e avaliação do perfil dermatológico do peeling de fenol com óleo de Croton. UEPG, [s. l.], 28 fev. 2019. Disponível em: https://tede2.uepg.br/jspui/bitstream/prefix/3135/1/Aline%20da%20Silva%20Justo.pdf. Acesso em: 7 jul. 2023.

REJUVENESCIMENTO da pele por peeling químico: enfoque no peeling de fenol. Anais Brasileiros de Dermatologia, SCIELO, p. 00, 6 set. 2001. DOI https://doi.org/10.1590/S0365-05962004000100011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/abd/a/fMXZNGpXX4qRnDVBhRsWLYh/#. Acesso em: 13 jul. 2023.

AVALIAÇÃO HISTOLÓGICA DO PEELING DE FENOL COM ÓLEO DE CROTON. UEPG, [S. l.], p. 1-4, 2019. Disponível em: https://siseve.apps.uepg.br/storage/EAIC2019/12_Bruna_Nunes_da_Silva-156963782637414.pdf. Acesso em: 13 jul. 2023.

ISSN: 2763-6895

Prefixo DOI: 10.56238/cpahciencia-012

Alguns destaques

Deixe um comentário

onze + 6 =

Translate »