Início Coluna Upcycling Food: Como reciclar alimentos pode salvar o planeta (…E a sua saúde)

Upcycling Food: Como reciclar alimentos pode salvar o planeta (…E a sua saúde)

por Redação CPAH

Por Dani Borges 

Todos já ouviram diversos alertas sobre o desperdício de alimentos ser um grave problema global, de acordo com dados da Upcycled Foods Association, o gasto da economia global com a perda de alimentos supera os 940 bilhões, por isso, cada vez mais o mundo tem se preocupado com essa questão.

Desse contexto surgiu o termo “upcycling food” que significa algo como reciclando alimentos, e, de acordo com o artigo “Definindo alimentos reciclados: O duplo papel do upcycling na redução da perda e desperdício de alimentos”, publicado pela revista científica “Trends in Food Science & technology”, ele denomina as ações promovidas pela indústria alimentícia que visam a reduzir o desperdício de comida através do uso dos resíduos alimentícios que seriam normalmente descartados.

Muito se fala sobre os benefícios da redução de lixo orgânico no meio ambiente, na economia nos custos de produção para os produtores e na colaboração para reduzir a fome no mundo, no entanto, pouco se comenta sobre os benefícios nutricionais da tecnologia.

A utilização de partes dos alimentos que seriam comumente descartadas, como folhas, caules, sementes, raízes, cascas e partes menos nobres de carnes pode ajudar a expor a população mundial a nutrientes que normalmente eles não têm.

Mas para que isso aconteça é necessário que haja alguns cuidados com os processos utilizados nessa produção para que não acabem seguindo o mesmo caminho das salsichas, que apesar de também utilizarem partes de carnes que normalmente iriam para o lixo, adicionam diversos químicos que o tornam um produto bastante prejudicial.

Sobre Dani Borges

Dani Borges tem 30 anos e é uma atleta Fitness WBFF PRO, nutricionista, modelo, health coach e educadora física. Como influenciadora digital, tem mais de 418 mil seguidores e posta dicas de motivação, alimentação saudável, receitas e treinos. Sua paixão pelo fitness surgiu na adolescência após ter tido um quadro de obesidade que a motivou a buscar uma mudança radical de hábitos. Como nutricionista, atende em seu consultório no Brasil e online através das plataformas digitais.

Dani começou a atuar como modelo fitness e competidora em 2010, participando nos anos seguintes de competições de fitness nos Estados Unidos e também fotografando para marcas ligadas ao segmento, especialmente em Orlando e Miami, se tornando um dos rostos mais conhecidos do grande público, brasileiro e internacional, que consome publicações e revistas de fisiculturismo.

Alguns destaques

Deixe um comentário

10 + catorze =

Translate »