Início Análise de Pesquisa Alimentação é importante para prevenção e controle de Alzheimer

Alimentação é importante para prevenção e controle de Alzheimer

por Redação CPAH

Por Dr. Fabiano de Abreu

Ainda não existem conclusões científicas efetivas sobre a causa do Alzheimer, o que se sabe é que a condição, mais comum em idosos, é uma doença degenerativa que compromete funções cerebrais importantes, como a memória, comportamento e personalidade, capacidade de aprendizado, compreensão, orientação e atenção. Seu tratamento se baseia em estratégias para retardar a degeneração cerebral e controlar sintomas, a doença ainda não tem cura.

No entanto, existem fatores que podem contribuir para prevenir e amenizar os sintomas em pessoas já acometidas pela doença, como enfatizado pelo meu artigo “Processo de nutrição para prevenção e acompanhamento de doentes em Alzheimer” publicado pela Revista Multidisciplinar de Ciência Latina. Ele busca compreender melhor a relação da nutrição com o desenvolvimento da doença.

A desnutrição é um fator de risco para pessoas com Alzheimer podendo causar até mesmo a morte prematura do paciente, ao passo que a nutrição adequada é um dos fatores capazes de controlar o avanço da doença.

Nutrição e prevenção de Alzheimer

A alimentação desempenha um importante papel na saúde como um todo, mas alguns  estudos ressaltam seu papel na prevenção de doenças degenerativas, como o Alzheimer, e pontuam a importância de incluir na dieta, hortaliças, frutas e peixes com ômega 3.

Muitos especialistas também destacam duas dietas que ajudam a fortalecer e proteger o cérebro, a dieta mediterrânea e a dieta MIND.

Dieta mediterrânea: Dá preferência à ingestão de alimentos frescos e não inclui alimentos industrializados e ultraprocessados, já frutas, legumes, frutos secos, cereais integrais, sementes e peixes estão liberados.

Dieta MIND: Criada por cientistas especificamente para proteger o cérebro e evitar doenças neurodegenerativas, ela se baseia em alimentos vegetais, reduzindo a ingestão de alimentos de origem animal, estimulando o consumo de vegetais, folhas verdes, frutas vermelhas, grãos integrais, alimentos ricos em antioxidantes e em flavonoides.

Nutrição e o avanço do Alzheimer

Pessoas atingidas pelo Alzheimer sofrem com situações que dificultam a alimentação adequada, como disfagia – dificuldade de deglutição, esquecer de se alimentar, movimentos das mãos, dificuldade de abrir a boca e desconfortos na boca.

Mas é preciso utilizar técnicas para contornar essas dificuldade, pois a nutrição desempenha um papel primordial em todas as etapas de enfrentamento da doença, fortalecendo o corpo e melhorando o bem-estar do paciente, por isso, prefira alimentos naturais e de mais fácil mastigação, em dietas líquidas ou pastosas é essencial a suplementação.

Em casos mais graves, a alimentação por sonda é a única opção para a alimentação, para isso é preciso cuidados de uma equipe multidisciplinar, para monitorar a situação constantemente e acompanhar o ganho de peso que, nessa situação, é mais lento.

Sobre o Prof. Dr. Fabiano de Abreu

Dr. Fabiano de Abreu Agrela, é um PhD em neurociências, mestre em psicologia, licenciado em biologia e história; também tecnólogo em antropologia com várias formações nacionais e internacionais em neurociências. É diretor do Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH), Cientista no Hospital Universitário Martin Dockweiler, Chefe do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International, Membro ativo da Redilat – La Red de Investigadores Latino-americanos, do comitê científico da Ciência Latina, da Society for Neuroscience, maior sociedade de neurociências do mundo nos Estados Unidos e professor nas universidades; de medicina da UDABOL na Bolívia, Escuela Europea de Negócios na Espanha, FABIC do Brasil, investigador cientista na Universidad Santander de México e membro-sócio da APBE – Associação Portuguesa de Biologia Evolutiva.

Alguns destaques

Deixe um comentário

18 − 5 =

Translate »