Início Análise de Pesquisa Remoção de tatuagens e maquiagem permanente: Existe método eficaz?

Remoção de tatuagens e maquiagem permanente: Existe método eficaz?

por Redação CPAH

A tatuagem é a forma mais popular de decoração corporal e cada vez mais tem ganhado mais adeptos, igualmente ocorre com métodos de maquiagem permanente com micropigmentação feitos sobre cicatrizes, vitiligo, sobrancelhas, lábios e reconstrução de aréolas.

No entanto, a popularização desses procedimentos também requer o desenvolvimento de métodos eficazes para a sua remoção, o que atualmente ainda é bastante escasso, sendo os principais, métodos químicos, dermoabrasão, cirúrgicos e a laser, sendo os procedimentos a laser os mais utilizados e menos invasivos da lista.

Mas mesmo sendo um dos meios que apresenta melhores resultados, a remoção a laser também possui limitações, para ser realizado, o método precisa apenas identificar o cromóforo que melhor absorve a radiação a laser, deixando de lado, distribuição, tipo, número e outras características, o que pode fazê-los ter menor eficácia.

No estudo “Análise hiperespectral in vitro de corantes dde tatuagem”, publicado pela revista científica Skin Research and Technology, esse processo e sua eficácia foram analisados e concluiu que ele funciona melhor com corantes pretos e que cores muito similares podem interferir no resultado, mostrando a necessidade de um aperfeiçoamento do método.

A radiação emitida na remoção a laser também pode ser absorvida por cromóforos naturais da pele, o que pode causar mudanças na pigmentação da pele, e sua absorção pelos cromóforos endógenos resulta em um aquecimento da pele, que pode causar danos térmicos no local.

Por isso, são necessários muitos cuidados com a pele durante o procedimento de remoção a laser e consultar um especialista para buscar a possibilidade de utilizar outros métodos, o estudo ressaltou ainda a importância de desenvolver melhor o procedimento, para aumentar a sua eficácia.

Sobre Dr. Gustavo

Dr. Gustavo Martins é médico Graduado pela Universidade Federal de Santa Maria-RS. É dermatologista e cirurgião dermatológico com títulação pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e Associação Médica Brasileira. Há 12 anos atua na área de tricologia e transplante capilar, sendo um dos primeiros brasileiros a realizar a técnica FUE, na qual são retirados unidades foliculares. Possui mais de mil pacientes operados, com vasta experiência no ramo. Palestrou nos maiores congressos nacionais e internacionais sobre transplante capilar e tricologia. Possui dezenas de artigos científicos publicados em revistas renomadas.

Alguns destaques

Deixe um comentário

12 − onze =

Translate »