Início ColunaNeurociências Por que o passado se torna mais presente à medida que envelhecemos?

Por que o passado se torna mais presente à medida que envelhecemos?

O resurfacing de memórias antigas à medida que envelhecemos é um fenômeno fascinante, com múltiplos fatores em jogo.

por Redação CPAH

O resurfacing de memórias antigas à medida que envelhecemos é um fenômeno fascinante, com múltiplos fatores em jogo. Entre as principais explicações, podemos destacar:

1. Sistema neuroprotetivo:

  • Redução da inibição: Com o tempo, a inibição neural diminui, permitindo que memórias suprimidas ou menos acessíveis ressurjam.
  • Plasticidade neural: O cérebro mantém a capacidade de se adaptar e fortalecer conexões neurais, facilitando a recuperação de memórias antigas.
  • Consolidação ao longo da vida: Memórias importantes podem ser continuamente reforçadas e consolidadas ao longo da vida, tornando-as mais propensas a serem lembradas.

2. Morte neuronal:

  • Podas neurais: Durante o desenvolvimento, o cérebro elimina conexões neurais menos utilizadas, o que pode levar à perda de algumas memórias.
  • Neurônios sobreviventes: Neurônios que armazenam memórias importantes podem se fortalecer e se tornar mais resilientes à morte neuronal, aumentando a probabilidade de que as memórias persistam.

3. Exploração de neurônios vivos:

  • Redes neurais distribuídas: Memórias não residem em um único neurônio, mas em redes neurais distribuidas. A morte de alguns neurônios pode levar à reorganização das redes, criando novas conexões e possibilitando o resurfacing de memórias antigas.
  • Reativação de padrões de memória: A ativação de um neurônio pode reativar toda a rede neural associada a uma memória específica, trazendo-a à consciência.

Fatores adicionais:

  • Emoções: Emoções fortes podem fortalecer as conexões neurais e tornar as memórias mais persistentes.
  • Contexto: O contexto em que uma memória é formada pode influenciar sua probabilidade de ser lembrada.
  • Repetição: A repetição de uma memória pode fortalecer as conexões neurais e torná-la mais resistente ao esquecimento.

Em resumo, o resurfacing de memórias antigas é um processo complexo influenciado por diversos fatores, como a plasticidade neural, a morte neuronal, a reativação de redes neurais e o contexto em que as memórias foram formadas.

Para mais informações:

Alguns destaques

Deixe um comentário

5 × dois =

Translate »