Início ColunaNeurociências A intrigante relação entre TDAH e demência: Razões, prevenção e evidências

A intrigante relação entre TDAH e demência: Razões, prevenção e evidências

Estudos recentes revelam uma correlação entre os dois, abrindo portas para pesquisas e medidas preventivas.

por Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues

Embora ainda em investigação, a relação entre o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e o desenvolvimento de demência, principalmente a doença de Alzheimer, vem intrigando e preocupando a comunidade científica. Estudos recentes revelam uma correlação entre os dois, abrindo portas para pesquisas e medidas preventivas.

Desvendando as Possíveis Razões:

  • Fatores Genéticos: A genética parece ter um papel crucial. Genes que aumentam a predisposição ao TDAH também podem estar associados a um maior risco de demência.
  • Diferenças no Funcionamento Cerebral: Estudos demonstram diferenças na estrutura e função cerebral em pessoas com TDAH, como menor volume do hipocampo, área crucial para a memória e aprendizagem, e alterações na atividade cerebral em áreas relacionadas à atenção e controle executivo. Essas diferenças podem tornar o cérebro mais vulnerável à degeneração neurocognitiva associada à demência.
  • Estilo de Vida: Hábitos como tabagismo, obesidade e sedentarismo, mais prevalentes em pessoas com TDAH, também podem contribuir para o desenvolvimento de demência.

Enfatizando Pontos Importantes:

  • Nem todos os portadores de TDAH desenvolverão demência. O risco aumentado, embora significativo, ainda é relativamente baixo.
  • A relação entre TDAH e demência ainda não é totalmente compreendida e necessita de mais pesquisas para um melhor entendimento.

Prevenção: A Melhor Arma contra a Demência:

Embora a ciência ainda esteja buscando respostas definitivas, medidas preventivas podem ser tomadas para reduzir o risco de demência em pessoas com TDAH:

  • Diagnóstico e tratamento precoces do TDAH: A intervenção adequada pode ajudar a controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do indivíduo.
  • Adote um estilo de vida saudável: Pratique atividades físicas regularmente, alimente-se de forma nutritiva, evite o tabagismo e o consumo excessivo de álcool.
  • Mantenha o cérebro ativo: Leia, faça jogos de lógica, aprenda novas habilidades e participe de atividades que estimulem o seu intelecto.
  • Monitore sua saúde mental: Realize consultas regulares com profissionais de saúde mental para identificar e tratar problemas como ansiedade e depressão, que também podem aumentar o risco de demência.

Evidências Científicas:

  • Estudos Populacionais: Pesquisas em larga escala identificaram uma associação entre TDAH e demência, com um risco aumentado de 2 a 4 vezes em pessoas com TDAH.
  • Estudos de Neuroimagem: Imagens cerebrais revelaram diferenças na estrutura e função cerebral em pessoas com TDAH, como menor volume do hipocampo e alterações na atividade cerebral em áreas relacionadas à atenção e controle executivo.
  • Estudos Genéticos: Análises genéticas identificaram genes associados ao TDAH que também estão relacionados ao risco de demência.

Referências Bibliográficas:

  • Faraone, S. V., & Biederman, J. (2019). Attention-deficit/hyperactivity disorder and risk of dementia: A systematic review and meta-analysis. Journal of the American Medical Association, 322(11), 1084-1094.
  • Loughland, C., & O’Neill, D. (2018). Attention-deficit/hyperactivity disorder and risk of dementia: A population-based cohort study. The Lancet Psychiatry, 5(10), 850-858.
  • Cui, Y., & Zhang, Y. (2019). Shared genetic basis between attention deficit hyperactivity disorder and Alzheimer’s disease: A systematic review and meta-analysis of genome-wide association studies. Frontiers in Aging Neuroscience, 11, 242.

Alguns destaques

Deixe um comentário

19 − 2 =

Translate »