Início ColunaNeurociências Qual a pontuação máxima que se pode chegar num teste de QI?

Qual a pontuação máxima que se pode chegar num teste de QI?

Quando calculada com um desvio padrão (DP) de 24, essa pontuação pode teoricamente alcançar até 200 pontos.

por Redação CPAH

Os testes de QI são amplamente utilizados para medir a inteligência, sendo os mais conhecidos a Escala Wechsler de Inteligência para Adultos (WAIS), a Escala Wechsler de Inteligência para Crianças (WISC), o Teste de Inteligência Stanford-Binet e as Matrizes Progressivas de Raven.

A pontuação máxima em um teste de QI comumente aceito é 160, com extrapolações até 164 pontos. Quando calculada com um desvio padrão (DP) de 24, essa pontuação pode teoricamente alcançar até 200 pontos. No entanto, isso não significa um nível de inteligência diferente, apenas uma interpretação estatística distinta dos mesmos resultados. No Brasil, não há testes de QI que reconheçam pontuações acima de 160 pontos.

Testes que indicam pontuações muito altas podem não ser comprovados cientificamente e, portanto, carecem de validade. Sociedades de alto QI, como Mensa, Intertel, Triple Nine Society e ISPE, reconhecem apenas testes validados e comprovados em seus sites. É recomendado verificar com essas sociedades para validar alegações de pontuações extraordinárias. Pontuações acima de 200 pontos provavelmente não são fidedignas e os testes podem não ser válidos.

Referências:

•⁠ ⁠Abdel-Khalek, A. (2005). Reliability and Factorial Validity of the Standard Progressive Matrices among Kuwaiti Children Ages 8 to 15 Years. Perceptual and Motor Skills, 101, 409-412.
•⁠ ⁠Chepure, A., Jog, P., Ungratwar, A., Subramanyam, A., & Kamath, R. (2023). Comparison of intelligence in children with autism and controls: Raven’s progressive matrices and wechsler intelligence scale-III. Annals of Indian Psychiatry, 7, 130-139.
•⁠ ⁠O’Leary, U., Rusch, K. M., & Guastello, S. (1991). Estimating age-stratified WAIS-R IQS from scores on the Raven’s Standard Progressive Matrices. Journal of clinical psychology, 47(2), 277-284.
•⁠ ⁠Whorton, J., & Karnes, F. (1987). Correlation of Stanford-Binet Intelligence Scale Scores with Various other Measures Used to Screen and Identify Intellectually Gifted Students. Perceptual and Motor Skills, 64, 461-462.

Alguns destaques

Deixe um comentário

nove + dezenove =

Translate »