Início ColunaNeurociências Como diferenciar com TEA de uma pessoa com TPE? Quais as diferenças?

Como diferenciar com TEA de uma pessoa com TPE? Quais as diferenças?

por Redação CPAH

Diferenciar o Transtorno do Espectro Autista (TEA) do Transtorno da Personalidade Evitativa (TPE) pode ser desafiador, pois ambos apresentam algumas características em comum, como dificuldades sociais e retraimento.

No entanto, existem diferenças importantes que podem auxiliar na distinção entre os dois transtornos:

1. Idade de início:

  • TEA: Geralmente se manifesta nos primeiros anos de vida, com sinais perceptíveis desde a infância.
  • TPE: Tipicamente se desenvolve na adolescência ou início da idade adulta, após a formação da personalidade.

2. Causas:

  • TEA: Considerado neurodivergente, com forte influência genética e possivelmente fatores ambientais pré-natais.
  • TPE: Causado por uma combinação de fatores genéticos, ambientais e psicológicos.

3. Dificuldades sociais:

  • TEA: Dificuldades na comunicação e interação social, como:
    • Déficits na comunicação verbal e não verbal
    • Dificuldades em compreender e usar linguagem figurada
    • Falta de interesse em interações sociais
    • Comportamentos repetitivos e estereotipados
  • TPE: Ansiedade social intensa e medo de rejeição, levando a:
    • Evitar situações sociais
    • Sentir-se inibido e desconfortável em interações sociais
    • Ter medo de ser criticado ou ridicularizado
    • Desejo de proximidade íntima, mas com receio de se machucar

4. Interesses e habilidades:

  • TEA: Frequentemente apresentam interesses intensos e específicos, podendo ter habilidades excepcionais em áreas como:
    • Matemática
    • Música
    • Arte
    • Memória
  • TPE: Geralmente possuem interesses e habilidades dentro da faixa normal, mas podem ter dificuldades em:
    • Expressar seus sentimentos e opiniões
    • Defender a si mesmos em situações sociais
    • Manter relacionamentos íntimos

5. Comorbidades:

  • TEA: Altas taxas de comorbidades com transtornos de ansiedade, depressão e transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).
  • TPE: Frequentemente comórbido com transtornos de ansiedade, depressão e outros transtornos de personalidade.

6. Resposta a tratamento:

  • TEA: O tratamento visa gerenciar os sintomas e melhorar a qualidade de vida, geralmente com intervenções comportamentais e educacionais.
  • TPE: A psicoterapia, como a terapia cognitivo-comportamental (TCC), pode ser eficaz no tratamento do TPE.

Diagnóstico diferencial preciso:

O diagnóstico diferencial preciso entre TEA e TPE exige avaliação profissional por um psicólogo ou psiquiatra experiente, utilizando ferramentas como entrevistas clínicas, testes psicológicos e observação do comportamento.

Alguns destaques

Deixe um comentário

quatro × 1 =

Translate »