Início Opinião Hipertensão infantil: O perigo silencioso que pode trazer uma série de problemas para a saúde

Hipertensão infantil: O perigo silencioso que pode trazer uma série de problemas para a saúde

por Redação CPAH

Por: Dr. Roberto Yano

Dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) revelados no último mês de abril mostram que cerca de 30% dos brasileiros são hipertensos. No entanto, há diversas razões para se preocupar com estes números, a começar que a pressão alta está atingindo cada vez pessoas mais jovens, já que entre as crianças e adolescentes 3 a 5% são hipertensas.

Geralmente associada aos adultos, os riscos da doença são bastante conhecidos. Porém, a hipertensão infantil está se tornando cada vez mais comum em crianças e adolescentes e, mesmo silenciosa, pode causar sérios problemas no coração, nos olhos, no cérebro e nos rins. No entanto, existem alguns cuidados simples, como fazer o diagnóstico precoce, que mostram ser eficazes em prevenir, controlar e tratar essas complicações.

É importante lembrar que medidas elevadas da pressão arterial na infância representa fator de risco para que a enfermidade se manifeste, mais tarde, na vida adulta. Outro agravante é que os filhos de pais hipertensos devem fazer o rastreio para hipertensão desde cedo. Toda criança com mais de 3 anos de idade deve ter sua pressão aferida ao menos uma vez por ano. Além disso, as causas da hipertensão infantil variam conforme a idade da criança. Nos bebês, por exemplo, pode acontecer isso devido a prematuridade, problemas nos rins, doenças endocrinológicas ou doenças congênitas. Nas crianças mais velhas, a obesidade, má alimentação e o sedentarismo são as principais causas.

Dr. Roberto Yano

Ainda assim, a pressão alta não tem sintomas perceptíveis na maior parte dos casos. Mas, se a criança ou adolescente apresentar dor de cabeça, tontura, falta de ar, distúrbios visuais ou fadiga, é fundamental buscar uma ajuda médica para identificar o que esteja causando isso. Para crianças de 1 a 13 anos, existem tabelas baseadas pelo percentil para sexo, peso e altura, para se definir se a criança está hipertensa. Para crianças com mais de 13 anos, consideramos hipertensão valores acima de 130 por 80 mmHg. Para os adultos, quem tiver com a pressão igual ou acima de 140 por 90 mmHg deve ficar atento. Se a pessoa encontrar valores acima de 140 e/ou 90 mmHg em 2 medidas e em dias diferentes, é bom ficar de olho, pois pode já estar hipertensa. Os cuidados também servem para aqueles que são chamados pré-hipertensos, que são aqueles que estiverem com a pressão acima de 130 por 85. Nesses valores, o risco de um infarto ou um derrame já é maior.

Silenciosa, mas traiçoeira, a pressão alta pode levar a uma série de comorbidades. Essas pessoas acabam tendo mais probabilidade de desenvolverem doenças cardiovasculares, como um infarto, AVC, insuficiência cardíaca, insuficiência renal por exemplo. O grande problema se encontra quando se fala nos sintomas. Afinal, o paciente não sente nada no primeiro momento, então muitas vezes ela já está precisando de ajuda e nem percebe.

Alguns destaques

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido! NÃO É PERMITIDO COPIAR !!